Share on facebook
Share on pinterest
Share on print

Descobre o charme da vila da Golegã, a Capital do Cavalo em Portugal, e aprecia o ambiente rural no meio da grande Lezíria do Ribatejo.

Este é um roteiro na Golegã, a Capital do Cavalo, situada a 130 km de Lisboa e a 32 km de Santarém, em plena região do Ribatejo. Pensa-se que a vila deve o nome a uma mulher oriunda da Galiza, que aqui instalou uma estalagem no século XII. A localidade passou a ser conhecida como Venda da Galega, depois a Galega e posteriormente a Golegã.

A Golegã está situada no meio da lezíria, rodeada de campos de grande fertilidade, sujeitos a inundações pelos Rios Tejo e Rio Almonda que os atravessam. Com efeito, estas terras férteis são propícias à agricultura e a pastagens para a criação de gado, como cavalos, vacas e ovelhas. Nesse sentido, pelo concelho existem várias coudelarias e ganadarias instaladas junto de belas casas senhoriais e de lavoura.

Mapa do Roteiro na Golegã

Os números (#) no Mapa e no Texto identificam os locais a visitar:

O que Visitar na Golegã

A Golegã é uma vila emblemática de grande tradição, ligada sobretudo ao mundo equestre. Assim, o casario da vila é constituído, de uma forma geral, por casas típicas ribatejanas de cor branca com frisos amarelos. Nas ruas encontras, entre outros, lojas de artigos ligados aos cavalos e às atividades rurais, vários restaurantes e casas ligadas a coudelarias e ganadarias, que ostentam a sua marca nas fachadas.

  • Duração do Roteiro na Golegã (estimada): 2 horas (25 minutos em caminho linear)
  • Extensão do Roteiro na Golegã: 2 km

=> O Roteiro na Golegã começa no Largo Dom Manuel I, onde está o “chalet” da Casa-Estúdio Carlos Relvas, em frente a uma antiga escola primária;

A) VISITAR A Casa-Estúdio Carlos Relvas

A Casa-Estúdio Carlos Relvas (1) foi mandada construir de raiz, no final do século XIX pelo rico lavrador Carlos Relvas, a fim de acolher um dedicado estúdio e laboratório de fotografia, como monumento aos percursores da área. Assim sendo, trata-de um bonito “chalet” de arquitetura do ferro, com apontamentos góticos e mouriscos.

As enormes paredes envidraçadas destacam-se no edifício, pois permitem a entrada da luz natural para os trabalhos fotográficos, regulada por um sistema de panos brancos e roldanas.

No interior do edifício encontra-se uma exposição sobre a história da fotografia, com trabalhos e equipamentos fotográficos, bem como livros e mobiliário da época, parte deles do próprio Carlos Relvas. No exterior encontra-se um belo jardim com relvado e árvores frondosas, que convida sobretudo a um passeio.

Golegã Fachada Casa-Estúdio Carlos Relvas
Casa-Estúdio Carlos Relvas

=> Em frente ao “chalet” existe o Palácio da Justiça e a Câmara Municipal;

B) fotografar OS Paços do Concelho

Nos Paços do Concelho (2) está sediada a administração local da Câmara Municipal da Golegã. Com efeito, trata-se de um edifício de cor-de-rosa, de grandes dimensões, que domina o Largo Dom Manuel I (doador do foral da Vila). Neste edifício realizam-se as sessões do poder autárquico, que antes tinham lugar no Palácio do Pelourinho (abaixo identificado).

Paços do Concelho, Golegã
Paços do Concelho, Golegã

=> Continuando este Roteiro na Golegã, sais do Largo Dom Manuel I viras à direita para a Rua Gil Vicente e no nº 4 encontras o Hotel Lusitano.

C) conhecer o Hotel Lusitano

O Hotel Lusitano (3) é inegavelmente uma referência quando se pensa onde ficar alojado na Golegã. Assim, estamos perante um acolhedor hotel de charme, instalado num edifício antigo no centro da vila, que possui piscina, spa, ginásio e um pequeno jardim.

Hotel Lusitano, Golegã
Hotel Lusitano, Golegã

=> Segues na Rua Gil Vicente e continuas em frente pela Rua Agostinho Macedo até ao fim, onde encontras o Largo da Imaculada Conceição, onde está situado o Café Central. Trata-se de um bonito largo com casas típicas baixas de cor branca com faixas amarelas, dominado pela Igreja Matriz;

=> Em seguida, neste Roteiro na Golegã viras à direita e tens o Palácio do Pelourinho com o pelourinho em frente;

D) Fotografar o Palácio do Pelourinho

O Palácio do Pelourinho (4) é um edifício de traça seiscentista que anteriormente serviu de Câmara Municipal, tribunal, cadeia, correios, museu municipal e Secretaria de Estado da Agricultura e Alimentação.

Junto ao Palácio encontras o Pelourinho, com uma longa coluna de pedra, que no cimo tem um capitel e na base tem 3 degraus.

Palácio do Pelourinho, Golegã
Palácio do Pelourinho, Golegã

=> Em frente ao Palácio do Pelourinho tens a Igreja Matriz;

E) Apreciar a Igreja Matriz

A Igreja Matriz (5), ou de Nossa Senhora da Conceição, é um edifício do século XVI, que apresenta um exuberante portal manuelino. Trata-se de um monumento nacional, de três naves, que apresenta alguns pormenores interessantes sobretudo no exterior, como:

  • a fachada assimétrica, devido à torre sineira do lado sul;
  • o portal da entrada que contém motivos estilizados de alcachofras;
  • as duas colunas torsas têm no cimo pináculos e na base mostram cada uma um dragão, de inspiração oriental.
Igreja Matriz, Golegã
Igreja Matriz, Golegã

=> Segues pelo lado esquerdo da igreja, passando um pequeno jardim com grandes árvores, até ao Posto de Turismo na esquina da Rua Dom Afonso Henriques (no nº 2);

F) Obter informações no Posto de Turismo

No Posto de Turismo (6) obtêm-se informações sobre a vila, o concelho da Golegã, percursos pedestres na Lezíria do Tejo, restaurantes, enoturismo e muito mais.

Posto de Turismo, Golegã

=> Continuas pela Rua Dom Afonso Henriques, com várias lojas, parte delas vende artigos ligado à temática equestre e rural (botas, bonés, roupas), lojas de antiguidades e restauro. Em seguida, passas junto ao Posto dos Correios e viras à esquerda para a Travessa da Rua de Oliveira;

=> Segues até ao fim e depois viras à direita para a Rua de Oliveira, onde logo encontras um edifício cor-de- rosa, que é o Museu da Máquina Fotográfica e Biblioteca Municipal. 

G) Visitar o Museu da Máquina de Escrever

O Museu Municipal da Máquina de Escrever (7) reune uma coleção de mais de 400 máquinas de escrever, produzidas nos séculos XIX e XX, por fabricantes de todo o mundo. Ao passo que visitas o museu vais-te aperceber da evolução tecnológica deste tipo de equipamentos ao longo do tempo.

O museu contém igualmente vários outros objetos de interesse, como cartazes de propaganda.

Museu da Máquina de Escrever, Golegã
Museu da Máquina de Escrever, Golegã

=> Voltas para trás até à Rua Dom Afonso Henriques, depois até ao Posto dos Correios (onde já estiveste) e viras à esquerda para o Largo 25 de Abril;

=> Entras pela Rua João de Deus, onde existem vários restaurantes de comida típica (como grelhados, porco no espeto, etc.) até ao Largo do Arneiro, onde no centro está um picadeiro.

h) passear no Largo do Arneiro

O Largo da Arneiro (8), ou Largo Marquês de Pombal, é inegavelmente o epicentro das atividades da Feira da Golegã. Assim sendo, à volta do grande picadeiro central existem várias casas típicas do Ribatejo, lojas de produtos equestres e casas de coudelarias com marcas nos portões ou fachadas.

Provas Equestres no Largo do Arneiro, Golegã
Provas Equestres no Largo do Arneiro, Golegã

=> Com vista para o Largo desces a Rua de São Martinho até final e viras à esquerda para a Rua Dom João IV. Continuas nesta rua até encontrares do lado direito um grande edifício cor-de-rosa, que é o Equuspolis.

i) explorar o Equuspolis

O Equuspolis (9) é um centro cultural, instalado num moderno edifício, que na fachada tem a silhueta de dois cavalos. Em resumo, o interior do edifício contém:

  • o Museu Municipal Martins Correia (abaixo referido);
  • o Auditório Eng. Ricardo Magalhães, onde se realizam conferências e workshops;
  • a Galeria de Arte João Pedro Veiga, onde se expõem temporariamente trabalhos de pintura e escultura;
  • o Equus Virtual, que é um espaço pedagógico que passa um filme para divulgação do Cavalo e da Golegã;
  • a Biblioteca do Cavalo, o Forum Manuel Fernandes e outros serviços.

A rodear o edifício encontra-se o parque da Juventude, que contém um jardim, bem como zonas de recreio, anfiteatro e um cais na margem de uma lagoa.

Equuspolis, Golegã
Equuspolis, Golegã

=> Neste edifício Equuspolis encontra-se instalado o Museu Municipal Martins Correia;

J) visitar o Museu Municipal Martins Correia

O Museu Municipal Martins Correia (10) expõe o espólio deste importante artista nascido na Golegã, com centenas de peças de escultura, pintura, desenho e cerâmica. Com efeito, as obras deste artista estão também expostas noutros museus nacionais e internacionais, como Museu de Arte Contemporânea, Museus Soares dos Reis e Museu de Arte Moderna de Madrid.

No Museu Municipal Martins Correia também se encontram igualmente obras de outros artistas, como Bual, Ana Vidigal e Artur Franco.

Museu Municipal Martins Correia, Golegã
Museu Municipal Martins Correia, Golegã

=> Viras à esquerda voltando para a Rua Dom João IV e segues até à Rua Heróis de Mucaba, onde viras à direita e sobes até ao Largo do Arneiro.

Chegaste ao fim do Roteiro na Golegã!

=> Se tiveres energia, tens a cerca de 1km o HIPPOS-Golegã (Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres). Para chegares lá, sais do Equuspolis virando à direita pela Rua Dom João IV e mais à frente entras pela Rua do Casal do Branco. Passas a rotunda e viras à esquerda para o HIPPOS-Golegã.

K) Conhecer o HIPPOS-Golegã

O moderno HIPPOS-Golegã é um Centro de Alto Rendimento de Desportos Equestres, onde se realizam em suma vários eventos, como concursos, provas de competição e desportos equestres. Assim sendo, aqui existe um conjunto de infraestruturas de apoio à pratica e ensino de várias modalidades hípicas, como boxes, picadeiros e campos.

O Que Fazer Perto da Golegã?

VisitaR a Reserva Natural do Paúl do Boquilobo

A Reserva Natural do Paúl do Boquilobo é um pequeno paraí­so tranquilo perto da Golegã, de grande valor em termos de fauna e flora, classificado como Reserva da Biosfera da UNESCO. A Reserva tem 600 hectares e é uma planície aluvial de pântanos e zonas húmidas, situada na confluência dos Rios Tejo e Almonda.

Com efeito, trata-se de um local calmo, como uma bonita paisagem e que contém uma larga zona alagada (na altura das chuvas). Aqui é um local muito agradável para passear (com um percurso para circular a pé ou de bicicleta), sem grande esforço fí­sico. Antes de mais nada, podes estar em contato com a natureza, ver as plantas aquáticas como salgueiros, jacintos de água e bunho.

Reserva Natural do Paúl do Boquilobo, Golegã
Reserva Natural do Paúl do Boquilobo, Golegã

Além disso, podes também observar a vida animal, nomeadamente as aves migratórias e aquáticas, como garças brancas (simbolo da Reserva), cegonhas e patos, colhereiros e quem sabe talvez uma águia-pesqueira. Neste local vivem mamíferos, a saber a geneta e a lontra, bem como anfíbios, cágados, cobras de água e muitos outros num total de cerca de 200 espécies. E acima de tudo tirar belas fotos!

Para chegar ao Centro de Interpretação da Reserva passas pelo meio dos campos agrícolas, plantados de milho, girassóis, couves, alguns têm sebes de marmeleiros e de freixos. Não raro encontras também rebanhos de ovelhas, cabras e aves de muitas cores, talvez um milhafre, bem como podes observar manadas de cavalos, que aqui se alimentam ou passeiam.

Local: Reserva Natural do Paúl do Boquilobo, a 6 km da Golegã

visitaR a Azinhaga – ALDEIA DO PrÉmio Nobel da Literatura

Azinhaga, localizada perto da Golegã, foi considerada a “Aldeia Mais Portuguesa do Ribatejo”. Por conseguinte, a aldeia possui um casario típico ribatejano. No pequeno largo junto da estrada principal encontras surpreendentemente uma escultura José Saramago, sentado num banco de jardim. Com efeito, este escritor português, que aqui nasceu em 1922, foi galardoado com o Prémio Nobel da Literatura.

José Saramago foi autor de vários livros traduzidos em inúmeras línguas e alguns adaptados ao cinema e ópera, com destaque para os livros “Ensaio sobre a Cegueira” e “Memorial do Convento.” No seu livro “As Pequenas Memórias” escreve sobre a Azinhaga, aldeia que o viu nascer, a família e a vida difícil que teve na infância.

José Saramago, Azinhaga, Golegã
José Saramago, Azinhaga, Golegã

Também foi na Azinhaga que nasceu em 1937 o desenhista, pintor e gravador Serra Faria, considerado o “Pintor do Cavalo Lusitano”.

Local: Aldeia da Azinhaga, a 6 km da Golegã

Apreciar as Quintas da Golegã

As bonitas e históricas Quintas da Golegã são famosas pelo seu edificado arquitetónico, parte deles apalaçados, situadas no meio da beleza natural da região do Ribatejo. Parte das quintas criam cavalos, como os puro-sangue Lusitanos. Entre as quintas, em suma, destacamos junto ao casario da Golegã:

  • A Quinta do Salvador (na Rua de São Lourenço, na Golegã), que se dedica à criação de cavalos. Foi nesta quinta que as tropas francesas ficaram instaladas durante as invasões do século XIX;
  • A Quinta de Santo António (na Rua Dom João IV, na Golegã) com muros brancos e barras de cor rosa-forte.

Fora da vila da Golegã, destacamos:

  • A Quinta da Cardiga (entre Golegã e Vila Nova da Barquinha) que possui uma palácio de grandes dimensões do século XV, construído sobre um castelo medieval pertencente aos Templários do século XII, do qual subsiste hoje a torre de menagem;
  • A Quinta da Brôa (entre Golegã e Azinhaga), que deve ao seu nome à oferta de broa aos mendigos que ali passavam para pedir esmola. Casa dos famosos Cavalos Veiga de pura Raça Lusitana.
Quinta da Brôa, Golegã
Quinta da Brôa, Golegã

conhecer a Feira dA GOLEGã

A Feira da Golegã é inegavelmente uma das maiores feiras equestres a nível mundial, também denominada de Feira Nacional do Cavalo, Feira Internacional do Cavalo Lusitano e Feira de São Martinho, desde 1571. Sobre o evento que atraí muitos criadores e apaixonados por cavalos, consulta o artigo Feira da Golegã: Para quem gosta de Cavalos.

Restaurantes na Golegã

CAFÉ CENTRAL / RESTAURANTE

O Café Central é um antigo local de tertúlia frequentada por toureiros. O restaurante encontra-se no primeiro andar, numa sala espaçosa de decoração de cores quentes que faz lembrar estes espaços antigamente. Com portadas azuis e grandes janelas, junto das quais pode-se desfrutar de uma vista para o Largo. 

O restaurante tem como prato emblemático o “Bife à Central com molho à Brogueira” (Brogueira é o nome do dono do restaurante). Assim, trata-se de um bife de vaca, com um dos melhores molhos de mostarda que já provamos, acompanhado de arroz e batatas fritas e ovo estrelado “a cavalo”, como não podia deixar de ser!

Golegã Bife à Café Central com Molho à Brogueira
Bife à Café Central com Molho à Brogueira

De sobremesa comemos o doce “Toureiros da Golegã”, que é um doce tradicional tipo queijadinha de ovos e açúcar, fabricados unicamente no Café Central, cuja receita permanece em segredo. Muito bons e “hiper” doces! Acresce referir que o restaurante teve um serviço simpático e eficiente, pelo que o recomendamos!

Café Central e Restaurante, Golegã
Café Central e Restaurante, Golegã

Local: Largo da Imaculada Conceição, nº 9/11, Golegã

OUTROS RESTAURANTES

Quando estivemos na Golegã foram-nos sugeridos mais três restaurantes na vila, que partilhamos:

  • Adega Ribatejana, na Rua José Farinha Relvas, nº 40;
  • Rédea Curta, na Rua João de Deus, nº 17 R/c;
  • Lusitanus, no Largo Marquês de Pombal (ou Largo do Arneiro).

Mais informações:

Posto de Turismo: Telefone 249979002 ou www.cm-golega.pt

Mais Destinos em Portugal

Para saber mais sobre os locais que recomendamos no País, então visite a página Destinos em Portugal.

Gostaste deste artigo? Partilha-o por favor com os teus amigos!

Share on facebook
Facebook
Share on pinterest
Pinterest
Share on print
Print
Share on email
Email
Temas
Top Artigos
Categorias
Escolher Categoria
Alojamento

Booking.com

Blog Membro
Selo ABVP Associação de Bloggers de Viagem Portugueses
Previsão do Tempo
Previsão do Tempo